Prémio de Crítica e Ensaística de Arte e Arquitetura AICA/fundação carmona e costaf

A Associação Internacional de Críticos de Arte/Secção Portuguesa (AICA/SP) e a fundação carmona e costa promovem um prémio de crítica de arte e arquitetura, no valor de 10.000,00, que tem lugar de dois em dois anos, reportando-se à produção publicada no biénio anterior de obras inéditas escritas em língua portuguesa e publicadas originalmente em Portugal.

A Primeira edição, em 2013, premiou:

Ana Vaz Milheiro pela obra Nos trópicos sem Le Corbusier, publicado pela Relógio de Água em 2012 e Nuno Faria, pelo projeto editorial e crítico substanciado no volume Para Além da História.


A Segunda edição, em 2015, premiou:

David Santos pela obra A Reinvenção do Real, publicada pela Documenta em 2014 e Pedro Bandeira, pela obra Escola do Porto. Lado B, publicada pela Documenta numa edição conjunta desta editora com o Centro Internacional de Artes José Guimarães, também em 2014.

A Terceira edição, em 2017, premiou:

Maria Filomena Molder, com o primeiro prémio, pela obra Rebuçados Venezianos, publicada pela Relógio D’Água em 2016 e, com o segundo prémio, ex aequo, Pedro Lapa, pela obra Joaquim Rodrigo, a contínua reinvenção da pintura, publicada pela Documenta e Diogo Seixas Lopes, pela obra Melancolia e arquitectura em Aldo Rossit, publicada pela Orfeu Negro, ambas de 2016.

Regulamento_Prémio de Crítica e Ensaística de Arte e Arquitetura AICA-FCC

Os comentários estão fechados